Project Management Institute

Autoridade vinculante

Gerentes de projetos e gerentes de mudança precisam atingir o equilíbrio certo em meio à interrupçã

Vozes | CLUBE DA CULTURA

De Karen Smits

img

ISTOCKPHOTO

Não há como negar: A mudança é constante. Mas há um debate feroz sobre quem está mais bem equipado para gerenciá-la: gerentes de projeto ou gerentes de mudança. Alguns insistem em que os gerentes de projeto são os agentes ideais de mudança, porque eles podem manter a estabilidade técnica e racional diante de disrupções. Outros acreditam que um gerente de mudança dedicado é necessário, porque essa pessoa vê a mudança através das lentes da ciência do comportamento e com altos níveis de habilidades interpessoais, astúcia e sensibilidade.

Então, quem está certo? Acredito que haja oportunidade — e uma clara necessidade — de uma colaboração frutífera entre gerentes de projeto e gerentes de mudança.

Em um projeto recente, minha função era orientar uma equipe nas questões de mudança organizacional de uma implementação do escritório de gerenciamento de projetos. Quando ficou claro que os membros da equipe estavam focados nos aspectos metodológicos do projeto, pedi a eles que dessem um passo atrás. Pedi que entrevistassem as partes interessadas e aprendessem sobre aspectos culturais, como artefatos, valores e suposições básicas, para explicar o DNA da organização do projeto. Infelizmente, todas as tarefas que designei foram realizadas com o objetivo de apenas "marcar o item", em vez de se envolver com o objetivo da tarefa e se conectar com o lado pessoal da mudança.

Essa equipe — e não tenho dúvida de que há muitas outras iguais — precisava de um gerente de mudança que pudesse trabalhar em conjunto com o gerente de projeto para ajudar a facilitar e implementar mudanças comportamentais significativas. Na realidade, o gerente de projetos geralmente tem pouco tempo e recursos para cumprir todas as atividades de gerenciamento de mudanças necessárias para alcançar resultados efetivos.

Veja como os gerentes de mudança e os gerentes de projeto podem coexistir pacificamente e ajudar suas equipes a entender o que é necessário para aceitar genuinamente a mudança:

1. Criar linhas de trabalho claras

As funções e atividades do gerente de projeto e do gerente de mudanças são relevantes em diferentes estágios do projeto organizacional. Discuta como as disciplinas de gerenciamento de projetos e gerenciamento de mudanças trabalharão juntas em um projeto específico e alinharão a propriedade para as atividades específicas. Por exemplo, o gerente de projeto descreve a definição do projeto e se concentra no gerenciamento de recursos, pessoas, orçamento, cronograma e risco. O gerente de mudança desenvolve uma análise de impacto e se concentra na mudança de comportamentos e na cultura organizacional para atingir os objetivos. Esse arranjo também serve como ponto de referência comum quando ocorrem divergências em relação às áreas em que ambas as disciplinas têm alguma participação e atividades (por exemplo, gerenciamento de partes interessadas, comunicação, planejamento).

2. Compartilhar responsabilidade

O gerente de projeto e o gerente de mudanças devem estar em um nível equivalente na organização do projeto e, juntos, manter a responsabilidade pelo sucesso do projeto. Esse tipo de acordo pode ser facilitado por linhas separadas de subordinação — o gerente de projetos subordinado a um gerente de programa, o gerente de mudanças, a um proprietário de mudanças, por exemplo — enquanto ambas as funções são responsabilizadas pelo resultado do projeto.

3. Apoiar a coesão

A disciplina de gerenciamento de projetos pode ser integrada ao foco no engajamento e à atenção às pessoas e à cultura do gerenciamento de mudanças. Já o gerenciamento de mudanças pode entender as funções e os relacionamentos do gerente de projeto, da equipe do projeto e das partes interessadas para complementar áreas além do foco do gerente de projeto.

Afinal, é certo que, quando as equipes trabalham juntas, os projetos têm muito mais probabilidade de gerar benefícios. Portanto, quando os gerentes de projeto e de mudança concordam em compartilhar a responsabilidade de se adaptar às mudanças organizacionais, os projetos e suas equipes estarão mais bem equipados para definir e obter sucesso. PM

img Karen Smits, PhD, é antropóloga organizacional que trabalha no Practical Thinking Group, em Sydney, Austrália. Para entrar em contato com ela, escreva para karen.smits@practical-thinking.com.
This material has been reproduced with the permission of the copyright owner. Unauthorized reproduction of this material is strictly prohibited. For permission to reproduce this material, please contact PMI.

Advertisement

Advertisement

Related Content

  • Pulse of the Profession

    The Innovation Imperative

    Organizations must invest in building a culture—and project teams— that can turn cutting-edge ideas into reality, according to new PMI research.

  • PM Network

    Power to Change

    By Tayel, Jess Many organizations are undergoing (or will soon undergo) a business transformation program geared toward growth and creating a competitive advantage. When successful, these programs bring about a…

  • PM Network

    Fast Forward

    Organizations and their teams will have to adapt—and quickly—if they want to maintain their competitive advantage, according to PMI's latest Pulse of the Profession®.

  • PM Network

    Binding Authority

    There's no denying it: Change is constant. But there's fierce debate over who's best equipped to manage it: project managers or change managers. Some insist that project managers are the ideal…

  • PM Network

    Time Change

    Less might be more when it comes to workweeks. Organizations that have abandoned the standard five-day, 40-hour-a-week template in favor of an abbreviated work schedule are touting higher…

Advertisement