Eddy Alvarado

Agro360, Santo Domingo, República Dominicana

img Agro360 img Santo Domingo, República Dominicana

img

Quando visitou Pueblo Viejo em seu país natal, a República Dominicana, Eddy Alvarado testemunhou em primeira mão como os agricultores estavam perdendo grande parte de suas safras para doenças, e o impacto devastador que essas perdas causavam em suas famílias e na comunidade. Cientista da computação especializado em ciência de dados, Eddy considerou a inteligência artificial (IA) como uma solução em potencial.

Em 2017, ele lançou o Agro360 com um projeto piloto voltado para o uso de IA para ajudar os agricultores em comunidades pobres a aumentarem a produtividade de suas lavouras, reduzir o impacto de doenças e diminuir sua dependência de produtos químicos.

“Decidi usar meu conhecimento em ciência de dados e IA para construir algo que pudesse ajudar esses agricultores a se tornarem resilientes e mais produtivos”, disse Eddy.

Ele também era motivado por uma realidade mais abrangente: os problemas em Pueblo Viejo não eram algo anormal. De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura, cerca de 40 por cento da produção global de alimentos é perdida devido a pragas e doenças agrícolas, que, por sua vez, provocam fome crônica e desnutrição.

“O Agro360 me fez entender que muitas vezes estamos desenvolvendo nossa sociedade focada em coisas efêmeras, sem nos atentarmos para a garantia de fundamentos como sustentabilidade alimentar, saúde e educação integral”, disse Eddy.

Para criar soluções direcionadas, a equipe — formada por três outros engenheiros especializados em agricultura e agronomia — conversou com os agricultores locais. Com base nesse feedback, eles construíram um algoritmo capaz de rastrear fatores ambientais (como temperatura e precipitação) e, em seguida, usar esses dados para prever o aparecimento de doenças.

Um projeto-piloto bem-sucedido ajudou a convencer grandes empresas de alimentos que compram as safras a subsidiarem a tecnologia para os agricultores. É uma situação em que todos ganham, disse Eddy: os produtores e varejistas de alimentos recebem produtos de maior qualidade e os agricultores aumentam suas margens de lucro. Em 2021, os agricultores que usam a plataforma Agro360 e os sensores tiveram um aumento de 23 por cento na produção e reduziram o uso de agroquímicos em 40 por cento, disse ele.

O impacto social positivo do Agro360 foi além da cadeia de suprimento alimentar. A equipe de Alvarado aplicou as lições aprendidas no projeto de desenvolvimento de agtech para construir outra plataforma, a Aurora, criada em apenas 14 dias para ajudar a República Dominicana na batalha contra a COVID-19. Com processamento de IA e linguagem natural, a Aurora usa dados públicos e de saúde para prever infecções por COVID-19 e encorajar pessoas com sintomas a buscarem ajuda médica. A plataforma inclui uma ferramenta automatizada para conversar pelo WhatsApp que alerta os cidadãos sobre onde e como obter ajuda relacionada à COVID e como envolver profissionais de saúde se a Aurora identificar uma situação de risco de vida.

O aplicativo se mostrou tão popular que o governo adotou a plataforma e indicou Eddy para ser diretor de tecnologia (CTO) do Ministério da Saúde. Nessa posição, ele e sua equipe foram capazes de expandir a Aurora para capturar e analisar dados de todos os hospitais do país. Em seguida, usaram a plataforma para prever surtos de outras doenças, incluindo dengue, e encaminhar esses casos diretamente para os serviços de emergência.

Para Eddy, foi a oportunidade de fazer a diferença. “Para nós, gerentes de projetos, é muito gratificante ter a possibilidade de trabalhar em projetos que tenham um impacto positivo, imediato e mensurável na vida das pessoas”, afirmou.

A equipe de Alvarado também adicionou recursos à Aurora que permitem que médicos se reúnam com os pacientes de forma virtual e construiu cabines de telessaúde em comunidades remotas que não têm acesso aos serviços locais. De março a junho de 2020, a plataforma Aurora estava disponível a 550.000 dominicanos e entregou mais de 11.000 consultas de telemedicina.

“Não queremos apenas lembrar da COVID como um desastre para a economia”, disse ele. “Queremos olhar para trás e dizer que fizemos algo. Precisamos continuar usando nosso conhecimento para desenvolver produtos que ajudem a impactar a humanidade de uma forma positiva”.

Como a pandemia mudou a maneira como você gerencia projetos?

A pandemia me fez reafirmar a ideia de que os projetos são feitos para pessoas e por pessoas, e que o tempo é o bem mais valioso que possuímos. O sucesso de um projeto deve incluir o sucesso das comunidades.

This material has been reproduced with the permission of the copyright owner. Unauthorized reproduction of this material is strictly prohibited. For permission to reproduce this material, please contact PMI.

Advertisement

Advertisement

Related Content

Advertisement