Project Management Institute

Expansão da energia limpa

Equipes de energia renovável estão aumentando as expectativas para acelerar uma transformação poderosa.

DE TEGAN JONES
RETRATOS DE BRANDON BARNARD

img

Jeanette Ortlieb, PMP, Distributed Power Africa, Joanesburgo, África do Sul

Aenergia renovável mais barata está a caminho, mas pode não chegar rápido o suficiente. A energia gerada a partir de fontes limpas de próxima geração é essencial para conter o impacto das mudanças climáticas e satisfazer uma demanda global quase insaciável por energia. Entre 2018 e 2050, o consumo mundial de energia crescerá quase 50 por cento, segundo estimativas da Agência Internacional de Energia (AIE) dos EUA. O forte crescimento econômico nos países em desenvolvimento impulsionará a maior parte desse aumento da demanda, à medida que a crescente classe média global ganha mais poder de compra.

Enquanto muitos governos repensam como satisfazer as necessidades locais de energia em meio a secas, inundações e incêndios florestais, as organizações estão avançando com projetos que ajudarão a aumentar a viabilidade e o apetite por energia proveniente de energia eólica, solar, hidrelétrica e biomassa.

Este ano, a Ørsted concluirá o maior parque eólico offshore do mundo, na costa leste do norte da Inglaterra. Com 1,2 gigawatt, o projeto Hornsea One fornecerá eletricidade suficiente para abastecer um milhão de residências. Quando os três primeiros projetos Hornsea forem concluídos, eles fornecerão energia suficiente para mais de 4,3 milhões de casas.

O programa Hornsea é apenas a ponta do iceberg. Segundo a AIE, 50 por cento da energia será gerada pelas energias renováveis até 2050 — com a energia eólica e solar respondendo por mais de 70 por cento das energias renováveis.

Essa demanda esmagadora, combinada com o custo descendente da tecnologia renovável, levou o crescimento do setor de energias renováveis à velocidade máxima, disse Paul Freunscht, PMP, diretor executivo de energia renovável da empresa de consultoria técnica GOPA International Energy Consultants GmbH, Frankfurt, Alemanha.

img

Hornsea, um parque eólico da Ørsted, em construção no norte da Inglaterra

FOTO DE CORTESIA DA ØRSTED

“Os custos ainda estão diminuindo rapidamente, e a forma mais barata de produzir eletricidade vence no final”, disse ele. “O único fator que ainda está desacelerando esse efeito são os subsídios existentes para a geração de energia térmica. Mas, para ser sincero, não vejo chance de parar a ênfase em energias renováveis neste momento”.

img

— Paul Freunscht, PMP, GOPA International Energy Consultants GmbH, Frankfurt, Alemanha

FORÇAR OS LIMITES

A corrida ao ouro das energias renováveis estimulará oportunidades para os gerentes de projeto em todo o setor — e no mundo. A participação da energia solar deve crescer de 2 para 22 por cento na geração global de eletricidade até 2050, segundo a BloombergNEF. E a Wood Mackenzie prevê que a capacidade de energia eólica aumentará 60 por cento nos próximos cinco anos. De acordo com a Agência Internacional de Energia (AIE), a energia eólica offshore sozinha será um negócio de US$ 1 trilhão em 2040.

Fonte: Wood Mackenzie

A velocidade do crescimento pressionou as organizações a aumentarem a entrega do projeto — e a evitarem atrasos desnecessários, disse Jeanette Ortlieb, PMP, gerente de projetos da Distributed Power Africa, Joanesburgo, África do Sul. “Os prazos estão ficando mais curtos, os contratos estão se tornando cada vez mais estritos e temos uma infinidade de novos jogadores em campo”, disse ela.

As tecnologias também estão evoluindo rapidamente, o que significa que muita coisa pode mudar entre a licitação e a execução. Jeanette encontrou esse problema em um de seus projetos anteriores, onde sua equipe teve que substituir uma grande empresa de fornecimento e instalação no início da construção.

img

FOTO DE GRANDRIVER/E+/GETTYIMAGES

“Tivemos que entrar em negociações de contratos apressadas e projetar processos de devida diligência”, disse ela. Embora isso tenha levado a um atraso no caminho crítico, incentivos de aceleração ajudaram a equipe a recuperar completamente seus principais marcos.

“Como gerente de projeto, você precisa estar pronto para a mudança”, disse Jeanette. “É sempre necessário ter um plano de gerenciamento de mudanças para cada item do registro dos riscos, independentemente da magnitude potencial do risco”.

img

— Jeanette Ortlieb, PMP, Distributed Power Africa, Joanesburgo, África do Sul

NOVO PARADIGMA

As equipes estão descobrindo que algumas emissões de carbono são mais teimosas do que outras. Em setores que ainda não estão eletrificados, principalmente transporte e indústria, os executivos precisam repensar a maneira como suas organizações devem passar para as energias renováveis.

Na fabricação, por exemplo, as altas temperaturas necessárias para criar cimento e aço são muito difíceis de sustentar com fontes de energia de baixo carbono. Mas, em novembro, a startup Heliogen Inc., financiada por Bill Gates, revelou que desenvolveu uma fonte concentrada de energia solar que pode mudar tudo isso. Usando o poder de computação de última geração, o projeto-piloto da equipe programou um campo de espelhos na Califórnia, EUA, para focalizar um feixe de luz concentrado em uma placa receptora de 50 centímetros. O resultado? Vapor sem emissão de carbono que atinge mais de 1.000 graus Celsius. E a Heliogen está trabalhando para elevar esse número a 1.500 graus Celsius. Essa inovação pode revolucionar o setor industrial e suas altas emissões, que representará mais da metade do consumo de energia de uso final entre 2018 e 2050, segundo a AIE.

Também é necessário ter inovações para remodelar o setor de transporte de alto consumo de petróleo, onde o consumo de energia deverá aumentar quase 40 por cento entre 2018 e 2050. Somente o transporte comercial é responsável por mais de 2 por cento das emissões globais de dióxido de carbono. A Organização Marítima Internacional pretende atingir 50 por cento dos níveis de emissão de 2008 até 2050, mas as empresas de transporte provavelmente precisarão de uma melhor tecnologia para atingir essa meta.

Fonte: Administração de Informações de Energia dos EUA

A tecnologia de célula de combustível oferece uma alternativa promissora. Em setembro, a Bloom Energy e a Samsung Heavy Industries lançaram um projeto para desenhar e desenvolver cargueiros comerciais com tecnologia de célula de combustível de óxido sólido. A troca do uso de óleo combustível pesado por células de combustível carregadas com gás natural líquido pode reduzir as emissões do setor em 45 por cento.

Mas a inovação é um alvo em movimento, e as equipes frequentemente aprendem à medida que avançam. E isso requer uma abordagem mais iterativa, disse Elton Soares, PMP, coordenador de projetos da GE Renewable Energy, Florianópolis, Brasil.

“Somos obrigados a ser mais ágeis a cada ano, porque os projetos estão mudando muito rapidamente”, disse ele. “Às vezes, seu cliente não sabe tudo o que quer no momento em que contrata você. Então, você precisa se preparar e obter aprovação do trabalho incremental”.

img

— Elton Soares, PMP, GE Renewable Energy, Florianópolis, Brasil

Embora a resistência à mudança ainda seja comum, as organizações estão dando passos mais confiantes em direção a fontes de energia com baixo ou nenhum carbono. Investir em energia limpa agora é uma aposta inteligente, e não uma escolha que exige priorizar o planeta em detrimento dos lucros.

“Depois de ter um projeto de referência de uma usina sem carbono ou outra tecnologia, você verá outras empresas fazerem o que fez, porque as pessoas gostam de copiar o que é bom, o que traz resultados”, disse Elton. “A ideia de não emitir carbono é impossível agora está sendo desfeita”. PM

Troca de talentos

Aenergia renovável está impulsionando opções de carreira, com pelo menos 11 milhões de funções em todo o mundo, de acordo com a Agência Internacional de Energia Renovável. Mas o conjunto de talentos não é grande o suficiente para atender à enxurrada de projetos de energia limpa que está chegando. Isso significa que as pessoas com o conjunto de habilidades certo continuarão em alta demanda, disse Paul Freunscht, PMP, diretor executivo de energia renovável da GOPA International Energy Consultants GmbH, Frankfurt, Alemanha.

“Temos posições em aberto, mas é difícil encontrar, por exemplo, engenheiros qualificados especializados em energias renováveis, que falem vários idiomas, dispostos a trabalhar em países em desenvolvimento”.

Para preencher a lacuna de talentos, as organizações estão buscando além dos veteranos do setor e especialistas técnicos. Paul disse que, se sua empresa não conseguir encontrar especialistas em energia renovável, está considerando procurar profissionais de projetos com experiência relacionada — talvez em outros tipos de projetos de infraestrutura — que a empresa possa treinar e desenvolver. Sua organização também contrata especialistas de forma independente quando um projeto exige conhecimentos mais específicos.

Por exemplo, uma organização que se expande para um novo mercado precisará de profissionais de projeto que possam se adaptar rapidamente às regulamentações locais, práticas de negócios, diferenças culturais e idiomas, disse Ben Yoon, PMP, gerente de projetos da Bloom Energy, San Jose, Califórnia, EUA. Garantir que a documentação necessária, a orientação técnica e as recomendações estejam alinhadas com os costumes locais e sejam fornecidas no contexto e idioma locais mantêm os projetos sendo executados sem problemas.

“Tudo o que fazemos aqui deve ser replicado em outros mercados, de acordo com as regras locais”, disse Ben. “Você só precisa ser flexível para atender a todos os requisitos do governo local e entrar no mercado”.

img

— Ben Yoon, PMP, Bloom Energy, San Jose, Califórnia, EUA

Depois, vem a política. As organizações precisam de gerentes de projeto que possuam as habilidades de comunicação, liderança e negociação necessárias para manter o apoio local a projetos de energia renovável. Os planos de longo prazo, criados em conjunto com o maior número possível de partes interessadas, fornecem aos projetos o apoio de equipe necessário para resistir a ventos políticos variáveis, disse Francisco Goncalves, PMP, gerente de projetos da Energy Cities, uma rede sem fins lucrativos de cidades europeias, Bruxelas, Bélgica.

“Você precisa aumentar o sentimento de propriedade em relação aos projetos”, disse Francisco.

Manter todas as partes interessadas envolvidas reduz as dores de crescimento que surgem com as principais mudanças necessárias para incorporar fontes renováveis em maior escala. Por exemplo, as comunidades estão desempenhando um papel mais ativo na produção de energia, que mudou o roteiro para reguladores e equipes de infraestrutura de energia.

“Esta é uma grande mudança na abordagem normal de cima para baixo na governança de energia, que normalmente é muito focada no fornecimento”, disse Francisco. “Se não apoiarmos as cidades nem fornecermos a elas capacitação e habilidades para lidar com esse problema, será muito difícil alcançar as metas estabelecidas para 2030”.

Ponto de inflexão

Megaprojetos de energia renovável no horizonte prometem fornecer energia limpa a milhões de residências em todo o mundo.

img

HIDRO

Projeto de Energia Limpa do Local C

Local: Peace River, Columbia Britânica, Canadá

Capacidade: 1,1 gigawatt (GW)

Patrocinador: BC Hydro

Orçamento: CA$ 10,7 bilhões

Cronograma: 2014-2025

Desafio: Acompanhar o progresso pode criar riscos humanos. Portanto, a equipe usa drones para coletar dados para monitorar o trabalho — e comparar a construção no mundo real com os esquemas de engenharia. A tecnologia ajuda as equipes a verem “como o trabalho está progredindo ao longo do tempo e a escala perfeita de vários aspectos do projeto, como por exemplo a casa de força”, disse Neil Kelly, PMP, diretor de controles, riscos e serviços do projeto, BC Hydro, Vancouver, Columbia Britânica, Canadá.

img

VENTO

Hornsea One

Local: 120 quilômetros da costa de Yorkshire, Inglaterra

Capacidade: 1,2 GW

Patrocinador: Ørsted

Orçamento: Não disponível

Cronograma: 2010-2020

Desafio: Abrangendo mais de 400 quilômetros quadrados do Mar do Norte, é o maior parque eólico offshore do mundo. Cada uma das 174 turbinas eólicas do projeto tem 190 metros de altura — e leva 12 horas para ser instalada.

img

BIOCOMBUSTÍVEL

Poet Biorefining—Shelbyville

Local: Shelbyville, Indiana, EUA

Capacidade: 303 milhões de litros

Patrocinador: Poet

Orçamento: USD 160 milhões

Cronograma: 2018-2020

Desafio: A entrega de benefícios será um desafio, depois que o governo dos EUA isentou várias refinarias do requisito de misturar gasolina com etanol, reduzindo a demanda por etanol em cerca de 15 bilhões de litros. Como resultado, a Poet teve que fechar uma das quatro outras usinas de etanol que opera em Indiana.

img

FOTOS DE CORTESIA DE, NO SENTIDO HORÁRIO, DA ESQUERDA, BC HYDRO, ØRSTED, E POET. FOTO ABAIXO DE AKSPHOTO/ISTOCK/GETTY IMAGES PLUS

SOLAR

Ladakh Solar Farms

Local: Ladakh, Índia

Capacidade: 7,5 GW

Patrocinador: Solar Energy Corp. of India

Orçamento: INR 450 bilhões

Cronograma: 2018-2023

Desafio: O projeto está sendo realocado depois que o departamento de vida selvagem da Índia disse que o local original é um ponto de reprodução de várias espécies protegidas. O novo local proposto recebe muita neve no inverno, o que limita o acesso à rodovia de seis a oito meses todo ano.

This material has been reproduced with the permission of the copyright owner. Unauthorized reproduction of this material is strictly prohibited. For permission to reproduce this material, please contact PMI.

Advertisement

Advertisement

Related Content

Advertisement