Project Management Institute

A nova dinâmica da liderança

A nova dinâmica da liderança As organizações estão emergindo da pandemia com expectativas e oportunidades reformuladas — e uma visão radical da mudança

img
img

ILUSTRAÇÃO DE KIRSTEN ULVE

img

FOTO DE ALVAREZ/E+/GETTY IMAGES

O caminho à frente

img

Sunil Prashara

img

Caroline Das-Monfrais

Presidente e CEO do PMI, Sunil Prashara, e Caroline Das-Monfrais, diretora de estratégia, EMEA, FTI Consulting, discutem como os líderes de projeto podem reconstruir a resiliência com análises.

TESTAR OS LIMITES

No meio da pandemia, as empresas tiveram que enfrentar a crise e fazer planos para incertezas.

Prashara: Muitas organizações estão reavaliando onde estão. Então, conte-me um pouco sobre o que resiliência significa para as organizações hoje em dia, à luz da pandemia e de tantas rupturas e transformações acontecendo no mundo.

Caroline: Nossa definição de resiliência era risco versus preparação, O que descobrimos foi que os riscos mudavam diariamente. Descobrimos que o modelo linear tradicional de avaliações de risco e ações de mitigação e outras coisas não estava mais funcionando. Nossos clientes às vezes têm muito pouco tempo para tomar decisões muito importantes.

Você não pode ter uma organização realmente resiliente se não fizer um planejamento de cenário, É preciso ter as pessoas, os processos, a cultura e a tecnologia para poder revisitar esses cenários na vida real, Também é preciso pensar em como resolverá alguns dos problemas quando eles surgirem, Não se trata apenas de sinalizar problemas ou identificar os riscos, O que você vai fazer a respeito? Como educará suas partes interessadas? Como pensará sobre causa e consequência? E como agirá no contexto do mundo, que é imperfeito e muito volátil?

O que descobrimos é que os dados estão na essência de uma mentalidade resiliente, Não é possível ter uma organização resiliente sem dados.

Prashara: Entre as coisas que descobri serem realmente importantes em tudo isso foram as pessoas e a resiliência das pessoas, Fiquei surpreso com a reação da comunidade do PMI, Como você viu as organizações reagirem com relação às pessoas?

Caroline: Precisamos reconhecer que os líderes que tomam decisões nestes tempos de incerteza estão sob muita pressão, e há um custo humano nisso, O que descobrimos quando olhamos para o tipo de resiliência é que os líderes que se saíram melhor do que os outros são aqueles que têm o conjunto de ferramentas para apoiá-los: ter essa resiliência pessoal e dados para tomar decisões em tempo real, Então, quando algo acontece, eles estão preparados, são capazes de pensar no quadro geral, E muitas vezes não há uma resposta certa ou errada, Você só precisa fazer o que é melhor para o seu negócio com base no que sabe e, nesse caso, quanto mais souber, melhor.

Prashara: No final das contas, alguém tem que tomar uma decisão, e você realmente não conhece as consequências não intencionais e, portanto, também precisa trabalhar com elas, Portanto, acho que o mundo inteiro se viu em um lugar — especialmente organizações e liderança — no qual não há uma receita de resposta, Mesmo hoje, ninguém sabe realmente qual será o resultado, E enquanto falamos sobre o novo normal, enquanto falamos sobre a nova forma de trabalhar, ninguém ainda sabe como será, porque ainda estamos nesse estado de fluxo.

77%
dos líderes do G20 acreditam que o comportamento do consumidor será mudado de forma permanente pela COVID-19.

90%
das empresas agora dão maior ênfase aos riscos desconhecidos.

Fonte: Resilience Barometer, FTI Consulting, 2021

UM NOVO MODELO

Em meio a tais rupturas e volatilidade extremas, os líderes de projeto devem criar uma mentalidade resiliente para si próprios — e suas equipes.

Prashara: Se você tem um conjunto de habilidades relevante para o futuro, isso o tornará resiliente. Se a sua mentalidade for de uma certa maneira, quando você se depara com uma situação terrível, a resiliência pode se manifestar no fato de você já ter passado por esse tipo de situação.

Caroline: Um processo só pode levar você até certo ponto. Os dados só podem levar você até certo ponto. A IA só pode informar decisões até certo ponto. No fundo, você precisa mesmo é das pessoas. A solução de problemas humanos é a única coisa que pode realmente reuni-las de uma forma coerente. É olhar para o conceito de resiliência pessoal em termos de gerenciamento de crises, em termos de capacidade de trabalhar sob pressão, capacidade de liderar equipes, capacidade de se conectar e pensar sobre o impacto maior — não apenas para o negócio, não apenas para as receitas, não apenas para os lucros, mas para a organização como um todo, seus clientes e os mercados em que operamos.

Realmente não é possível aplicar modelos anteriores para prever o desempenho futuro. A organização que possui esse tipo de elemento de resiliência faz uma série de coisas. A primeira é criar um espaço para inovação, criar um espaço para um tipo diferente de pensamento. Conectar isso às funções e processos existentes requer um certo tipo de liderança. Você precisa que as pessoas certas no topo tenham uma mentalidade como essa, caso contrário, não funcionará.

Prashara: O denominador comum aqui são pessoas. Mesmo que uma organização possa ter aspirações de focar em áreas específicas que demandam apoio para serem mais resilientes e emergirem mais fortes, ainda depende das pessoas fazer essas mudanças acontecerem. E é aí que entra o PMI, ajudando a transformar ideias em realidade, capacitando os indivíduos, e, por fim, permitindo que esses indivíduos sejam relevantes para as organizações, façam essas mudanças acontecerem.

Caroline: O gerenciamento de projetos está em um momento crítico. Independentemente das dimensões da resiliência, existe uma função para o gerenciamento de projetos que vai muito além da abordagem tradicional. O gerenciamento de projetos não é mais linear — é conectado, é digital. Ele atinge todas as dimensões da resiliência. Veremos novos tipos de gerenciamento de projetos, novas habilidades, apoio aos recursos de gerenciamento de projetos nas organizações. Ter esse recurso ágil de gerenciamento de projetos em uma empresa é provavelmente a melhor coisa que você pode fazer se quiser ter resiliência nela.img

img

FOTO DE ETHAN MILLER/GETTY IMAGES

Receita para o sucesso

José Andrés, chefe e fundador, World Central Kitchen, sobre:

ADAPTAÇAO

“O século 21 exige menos planejamento e mais adaptação. (…) A adaptação tem muito mais valor hoje”.

TRABALHO EM EQUIPE

“Sou tão bom quanto as pessoas ao meu redor. Elas têm que buscar seu sucesso. O sucesso delas é o meu sucesso”.

PENSAR GRANDE

“Não se intimide com ideias grandes e ousadas. Elas fazem você ir em frente. Mantêm você motivado”. img

img

GANHAR MUSCULATURA

Alexis Ohanian, cofundador, Reddit

“A vida real não vem com uma apostila. Quanto mais um aluno puder exercitar os músculos da resiliência, melhor”.

Parte da construção da resiliência — seja em projetos, seja em sala de aula — é superar o fracasso.

“Você é ensinado a evitar o fracasso a todo custo como aluno, a tirar boas notas, mas a vida é cheia de fracassos e revezes. Aprenda a encarar o fracasso com naturalidade: não é porque você não está fazendo o trabalho, mas porque lutar, frustrar-se e aprender com isso fazem parte da vida”.

Também ajuda ter uma equipe apoiando você.

“Você pode fazer muito disso sozinho, mas só chegará até certo ponto: vocês conseguirá muito mais se trabalharem juntos”. img

img

IMAGENS DE MERRYMOONMARY/E+/GETTY

Transformar a mudança em realidade

Tanya Elizabeth Ken não é uma adolescente preguiçosa. Aos 10 anos, ela queria ser arquiteta de segurança cibernética. E, aos 15, estava enfrentando as desigualdades gritantes no acesso à educação com a fundação da Lakshyashala Edutech. Aqui estão algumas de suas dicas:

TENHA BOAS INTENÇÕES

“Acredito que uma boa ação pode iniciar uma onda de mudanças”.

FAÇA ACONTECER

“Se as pessoas veem algo que consideram um problema e acham que podem resolvê-lo, é importante reservar um tempo do seu dia para trabalhar na solução desse problema — independentemente de você ainda ter trabalho a fazer. É importante agir agora em vez de deixar para outra hora.

TRANSFORME A TAREFA EM UMA MISSÃO ESSENCIAL

“Um dos maiores desafios que enfrentei foi recrutar a equipe e gerenciar a equipe. Ao recrutar a equipe, você precisa se certificar de que as pessoas que estão se apresentando irão ajudar você a entender como a missão vai impactar a família. Por exemplo, nossa missão é igualdade na educação e nossa visão é ajudar a tirar famílias da pobreza. Portanto, precisamos preencher a lacuna entre nossa missão e a realidade”.

MOSTRE O IMPACTO

“Tivemos a oportunidade de levar a equipe até as [organizações não governamentais] e ver os problemas que estavam enfrentando em primeira mão. E acho que foi isso que permitiu visualizassem o impacto que nossos modelos podem ter. Se os membros da equipe puderem visualizar o cliente final e quão felizes eles podem ficar, acho que é o suficiente para garantir que serão capazes de preencher a lacuna entre as realidades atuais e as metas projetadas para a empresa”. img

img
img

REMOVAAS CORTINAS

Rana el Kaliouby CEO e cofundadora, Affectiva

Mesmo na sociedade saturada de tecnologia de hoje, os líderes de projeto não devem ignorar questões éticas, às vezes complicadas.

ANALISE

“Toda conversa sobre tecnologias deve considerar o seguinte: “Ok, quais são as implicações éticas? Quais são as consequências não intencionais?”.

DIVERSIFIQUE

“Minha maior preocupação não é que os robôs assumam o controle: é que estamos sem querer criando preconceitos de maneiras não intencionais. É muito importante que, à medida que projetamos essas novas tecnologias, garantamos que os dados sejam diversificados. E conseguimos isso tendo uma equipe diversificada. Porque todos nós temos pontos cegos”. img

Defensor das mudanças

img

Miguel Mejicano, PMP, gerente, métodos de precificação financeira, processos de transporte e atendimento, Canada Post, afirmou que não há fórmula mágica para a mudança.

Mas ele disse que três elementos podem definir o sucesso ou o fracasso de um esforço de mudança:

  1. Gerenciamento de resistência
  2. Apoio organizacional
  3. Alinhamento estratégico

E se ainda houver oposição?

“Precisamos nos aprofundar no entendimento dos motivos dos resistentes, porque podemos descobrir com eles ideias úteis que também podem ajudar a liderar a mudança. Gerenciar a resistência pode ser um projeto por si só”. img

LIGAR OS PONTOS

“Há mais força. Há técnicas melhores. Porém, à medida que progredi como treinador [de tênis], a única coisa que se destacou para ajudar os jogadores a vencer mais partidas foi entender os padrões de jogo”.

img

— Craig 0’Shannessy, diretor administrativo, Brain GameTennis img

img

IMAGENS DE SOLSTOCK/E+/GETTY

img

A ARTE DE GERENCIAR

Bruce Gay, PMP, gerente sênior de programa da UPMC Enterprises, conta

quatro maneiras de conquistar executivos durante uma apresentação

  1. Inverta o roteiro
    Comece com a conclusão e uma recomendação, A partir daí, você passa para os detalhes de apoio: análise, dados adicionais, antecedentes e histórico.
  2. Concentre-se na decisão
    A apresentação é um meio para se chegar a um fim, Você precisa concentrar as informações em suas mensagens para apoiar a decisão que está tentando fazer com que os executivos tomem.
  3. Operação persuadir
    A persuasão é o objetivo, É importante que você se concentre nas conclusões e as forneça antecipadamente, Em seguida, crie uma estrutura lógica que os executivos possam seguir e certifique-se de exibir todas as informações e dados de maneira eficaz para que os executivos tomem uma decisão.
  4. Vá direto ao ponto
    Os executivos estão sempre sem tempo, Uma vez que você concebe, projeta e entrega sua mensagem, é seu trabalho fornecer as informações da maneira mais rápida, clara e flexível possível, Quando os executivos sabem que você está preparado, suas chances de retornar e apresentar a eles novamente aumentam muito. img
img

COMPOSTURA NA CRISE

Wanda Curlee, PMP, PgMP, PfMP,
diretora de programa, administração de empresas, American Public University System, sobre como os líderes podem orientar equipes em meio à adversidade:

ENCARE A REALIDADE

Diante do coronavírus, os líderes de projeto devem se preparar para gerenciar as expectativas e orientar suas equipes nas linhas de chegada que podem estar mudando. É uma tarefa difícil — mas não impossível.

LIDERAR PELO EXEMPLO

Como líder, você deve dar o exemplo. Dar o exemplo significa que você precisa reconhecer a situação e demonstrar urgência enquanto mantém o controle sobre os prazos e o moral da equipe Por dentro, você pode estar sobrecarregado, e tudo bem. Mas tome cuidado para não projetar essas incertezas.

img

WASAN PRUNGLAMPOO/ISTOCK/GETTY IMAGES PLUS

CAPACITE TODOS

Conte com a equipe para determinar o que precisa ser feito. Capacitar os membros da equipe os ajudará a sentir que têm algum controle. Existem pessoas que podem precisar trabalhar remotamente antes de outras? Elas têm o que é necessário para adotar o trabalho remoto? Você, o líder, precisa ter certeza de que sua equipe está bem cuidada. img

O PODER DE CONTAR HISTÓRIAS

“Contar histórias é uma ótima maneira de criar equipes engajadas e autodirigidas que se identificam com nossa resposta a desafios e mudanças. Contar histórias pode dar ao seu pessoal uma compreensão clara e compreensível dos objetivos, benefícios e vulnerabilidades compartilhadas da organização. Como toda boa história, ela tem um conflito, um inimigo. Sua organização precisa saber a favor do que está lutando. E contra também”.

img

Chiwuike Amaechi, PMP, engenheiro chefe de intervenção submarina, Shell Nigeria Exploration & Production Co. img

SAIA DA SUA ZONA DE CONFORTO

“Você pode pensar em uma crise como um descongelamento, uma oportunidade de remodelar as coisas, de criar uma nova linguagem, novas instituições e novas Cp maneiras de fazer as coisas”.

img

— Martin Reeves, presidente do Boston Consulting Group Henderson institute img

img

Resiliência ágil

Billy Samuel Mwape, PMP, gerente assistente de tecnologia de informação e comunicação no Banco de Desenvolvimento da Zâmbia, e palestrante do [email protected]

Q uando seu filho Lubuto foi diagnosticado com paralisia cerebral, os instintos de gerenciamento de projetos de Billy Samuel Mwape assumiram o controle. Para estimular a neu- roplasticidade de Lubuto antes que ele chegasse aos 5 anos, Mwape apostou no ágil. Junto com sua esposa, que é fonoaudióloga, terapeuta ocupacional e fisiote-rapeuta, ele fez um sprint de cinco anos: com esforço e coragem persistentes, Lubuto experimentou um progresso notável em independência de movimentos, equilíbrio e coordenação. Billy disse: “Ficamos maravilhados com os resultados surpreendentes que testemunhamos como resultado desta metodologia experimental. E, agora, orgulhosamente, nós nos chamamos de pais ágeis”.

E Billy afirmou que é um líder melhor por causa da experiência. “Meu filho é meu modelo de liderança em resiliência”, disse ele. “Como líder, percebi que precisava expô-lo ao mundo. Ele precisava tentar correr. Ele precisava falhar por conta própria, ter algumas cicatrizes em seu corpo e, em seguida, aprender as lições por conta própria”.

Aqui estão algumas outras dicas de liderança que ele aprendeu ao longo do caminho:

ELE ACREDITA FIRMEMENTE EM EQUIPES AUTOGERENCIADAS

Quando você microgerencia as pessoas, o que faz é transformá-las em robôs e, quando você não estiver por perto, sua equipe nunca terá um bom desempenho, porque está acostumada com alguém lhes mostrando o que fazer. E adivinha? Com a IA, a programação de rotina não é mais sensata para todos. Você precisa permitir que as pessoas cresçam por conta própria.

DEFINA SUA REALIDADE

O papel primeiro de todo líder é definir a realidade. E depois de definir a realidade, pode criar estratégias sobre como deseja mover sua equipe para a frente ou executar o projeto. No momento, a COVID-19 é a nossa realidade. É uma tempestade diante de nós. E exige um líder que seja decidido, altamente adaptável e que esteja pronto para aprender.

AS FALHAS ACONTECEM, E TUDO BEM

Todo líder de projeto deve perceber que a falha é parte natural do progresso. O importante é como você escolhe superar a falha”.

SEJA AUTÊNTICO

Geralmente, há esse sentimento de querer estar correto o tempo todo como líder, mas é um sentimento falso. Você está condenado ao fracasso se pensar sempre assim. Você precisa saber que existem algumas coisas que não sabe, especialmente em momentos de incerteza, como o atual. Portanto, você realmente precisa ser transparente com sua equipe.

ESQUEÇA O ORGANOGRAMA

Para que possamos cultivar a atitude de criatividade, todo líder deve confiar nas pessoas de sua equipe. Saiba que liderança não depende de títulos. É mais uma questão de disposição do que as posições que temos como gerentes de projetos, diretores de pro- jetos, diretores de escritório de gerenciamento de projetos. Precisamos perceber que é nas sinergias que reside a magia de alcançar grandes sucessos. img

img

A ARTE DE DESAPRENDER

Barry O Reilly, autor

“Os líderes que vão na frente estão constantemente cultivando cenários em que estão saindo de sua zona de conforto”.

Isso não significa apenas acompanhar as últimas tendências.

“O desafio não é ter capacidade de aprender coisas novas. Na verdade, é a incapacidade de desaprender mentalidades e comportamentos atuais, que podiam ser eficazes no passado, mas que agora talvez estejam limitando seu sucesso”.

Como os líderes desaprendem?

“É um processo de renúncia ou reformulação de mentalidades antes úteis e comportamentos adquiridos que eram eficazes no passado, mas agora limitam nosso sucesso. Portanto, não é esquecer, retirar ou descartar seu conhecimento ou experiência; é o ato consciente de abrir mão de informações desatualizadas e se envolver ativamente, e receber novas informações para informar sua tomada de decisão e ação”. img

REDE SEGURA

“A confiança proporciona uma sensação de segurança. E quando os membros da equipe se sentem seguros, eles se tornam mais produtivos — e mais seguros em assumir os riscos apropriados”.

img

— Dan Mircea Suciu, PMI-ACP, professor de matemática e ciências da computação, Universidade de Babes-Bolyai img

ATRAVESSAR AS DISTRAÇÕES

“Não preciso contar a ninguém sobre a sobrecarga de informações, com notícias sobre a COVID e os milhares de bipes e sinais que nos distraem de nossas responsabilidades a cada dia. Isso significa que muitos de nós perdemos as informações de que precisamos ou queremos. Como líderes, precisamos dedicar algum tempo para garantir que nossa mensagem seja transmitida e que a estamos a transmitindo de forma consistente, mesmo que estejamos repetindo a mesma mensagem”.

img

Dave Wakeman, PMP, diretor, Wakeman Consulting Group img

TRANSFORMANDO JUNTOS

“Os esforços de transformação devem vir de dentro e são mais poderosos e sustentáveis se as pessoas dentro da organização forem nutridas, capacitadas e desenvolvidas. Uma organização de sucesso se diferencia ao transformar os funcionários junto com a organização.

img

— Emil Andersson, gerente de projeto, Brightline Initiative img

OS GRANDES SINTETIZADORES

“Hoje, estamos buscando líderes para se tornarem criadores de um terreno comum, aqueles que sintetizam todas essas diferentes tensões”.

img

Deepa Prahalad, CEO, Anuvaa LLC img

img

MIREXON/ISTOCK/GETTY IMAGES PLUS

Aflorar o melhor de equipes remotas

img

Jorge Martin Valdés Garciatorres, PMP, consultor, explica como construir equipes virtuais produtivas e capacitadas.

  1. Defina regras básicas e expectativas com sua equipe e estabeleça novos ou modifique os existentes conforme necessário.
  2. Estabeleça um sistema de responsabilidade e prestação de contas.
  3. Demonstre empatia e compaixão.
  4. Estabeleça uma reunião em pé virtual.
  5. Verifique com regularidade — Pergunte a cada um dos membros de sua equipe como estão se saindo. Diga a eles que você está lá para ajudar se precisarem de algo e marque conversas individuais conforme a necessidade. img
img

ILUSTRAÇÃO DE KIRSTEN ULVE

Respostas rápidas

img

Jennifer Pahlka

img

Charles Best

Em momentos de crise, os líderes de projeto podem inspirar a ação. Jennifer Pahlka, fundadora da Code for America, ajudou a criar o US Digital Response, uma iniciativa para recrutar e unir especialistas em tecnologia e gerentes de projeto voluntários com agências públicas que lutam para reagir à pandemia. Charles Best, fundador e CEO da DonorsChoose, liderou o pivô pandémico da organização para lançar um piloto do Keep Kids Leaming, para ajudar a garantir que as crianças em áreas de alta pobreza tivessem acesso a materiais e suprimentos educacionais — até mesmo em casa. Veja como esses dois líderes ajudaram a promover mudanças significativas:

cada um deles começou com uma missão clara — e então quebrou qualquer barreira que estivesse no caminho.

Pahlka: [O projeto é] muito simples: São pessoas com grandes habilidades que querem tornar o governo mais forte, e pessoas no governo que podem colocar essas pessoas para trabalhar, realizando atividades essenciais que precisam ser feitas, porque precisam acontecer em uma velocidade muito maior e em uma escala muito maior do que no passado.

O melhor: Tem sido um grande desafio logístico para nós, descobrir como mudar nosso sistema, que foi codificado para enviar materiais apenas para um endereço escolar verificado nos últimos 20 anos, e mudar para poder enviar materiais diretamente para a casa de um aluno ou a casa de um professor.

Eles apelaram para o que as pessoas têm de mais positivo.

O melhor: Pode ser que você precise de mais meio ano a partir de agora, então é melhor acumular carma bom enquanto você tem um pouco de sobra.

Pahlka: Em tempos de crise, muito do caráter das pessoas neste país aparece e elas querem ajudar. Sabe, 6.000 pessoas dizendo que vou trabalhar de graça, e para o governo? Tem sido difícil fazer com que o pessoal de tecnologia trabalhe para o governo por 10 anos e, de repente, todos querem fazer isso e nem mesmo querem ser pagos.

Entrar e dizer: “Não estou aqui para dizer que você faz as coisas mal; não estou aqui para dizer que o sistema não funciona da maneira como deveria.

Não estou aqui para lhe dar um sermão. Estou aqui para fazer o que for necessário para ajudar: segurar a lanterna enquanto você desce pelo poço, por assim dizer”. É também o caráter de como as pessoas estão se apresentando. Não é só que querem ser altruístas. É que estão vendo que precisamos de uma mudança sistêmica.

Elas criaram um ecossistema de agentes de mudança baseados na realidade.

O melhor: O objetivo é pegar todos os projetos que estão sendo financiados em nosso site e canalizá-los para algo que possa levar a uma mudança sistêmica. Um exemplo disso é abrir todos os dados dos projetos de sala de aula em nosso site para que os legisladores e funcionários do governo possam ouvir e escutar o que os professores estão tentando nos dizer. (…) E o sonho é influenciar bilhões de dólares [EUA] em gastos com educação do governo e permitir que o sistema seja mais responsivo para ouvir as pessoas que estão mais perto da linha de frente. Acreditamos que há poder em extrair microssoluções da experiência de linha de frente de professores que às vezes podem ser mais inovadores e criativos do que soluções de cima para baixo do gabinete central ou da torre de marfim.

Pahlka: Passei os últimos 10 anos tentando descobrir como fazer o governo mudar de várias maneiras. Mas realmente sinto que cheguei a esse aprendizado de forma autêntica e acredito com todas as forças que de cima para baixo não basta. Quando fazemos planos com base em ideias abstratas, em vez da realidade prática que você obtém ao fazer projetos — a partir do insight sobre como as coisas realmente funcionam —, não temos sucesso. img

REINVENTAR, REEMERGIR E REVIVER

“Não é sempre que você tem a oportunidade de reformular completamente o que faz. Não podemos ignorar a situação em que nos encontramos. Seria um péssimo negócio não sairmos disso sem pensarem melhores formas de trabalhar, de viver”.

img

— Trevor Noah, comediante e apresentador do The Daily Show img

HONESTIDADE BRUTAL

“As melhores organizações estão cheias de pessoas, em todos os níveis, que têm coragem de enfrentar tópicos difíceis”.

img

— Betsy Kauffman, PMI-ACP, PMP, coach de liderança, Cross Impact Coaching img

LIDERANÇA COM PROPÓSITOS

“O papel do gerente de projeto — ou, na minha linguagem, o facilitador — é ajudar a criar um tecido conectivo psicológico. O maior erro que cometemos em qualquer tipo de reunião é presumir que o propósito é óbvio. Comece sempre declarando o propósito de uma reunião. E então conecte as pessoas ao propósito — e umas às outras”.

img

Priya Parker, autor e apresentador de Together Apart img

CONSTRUINDO - E MANTENDO - A CONFIANÇA

“Nunca acredite que alguém está se saindo melhor do que você. Muitas vezes acreditamos que outra pessoa tem o molho secreto ou que tem a resposta. Estamos todos navegando neste espaço. Todos nós temos incertezas. Todos nós duvidamos se nosso projeto — ou aquilo em que temos nos dedicando de corpo e alma — vai valer a pena. E, sim, busque conselhos, ajuda e conhecimento de outras pessoas, mas nunca sinta que sua ideia, sua visão, sua capacidade de adaptação são inferiores às de outra pessoa.

img

— Tamron Hall, apresentador de programa de entrevistas img

ELIMINE A PROCRASTINAÇÃO

“Agora sabemos que as coisas podem mudar em um instante. A procrastinação pode resultar na impossibilidade de atingir os objetivos ou em um atraso que pode durar meses ou anos. A lição aqui é priorizar o que é importante — e fazer isso agora. Boas práticas de gerenciamento de tempo mostram que lidar com algo (como um e-mail) uma vez e tomar uma decisão imediata é mais eficaz do que colocá-la de lado ou fazer uma lista de tarefas para lidar com isso mais tarde”.

img

— Jen L. Skrabak, PMP, PfMP, vice-presidente/consultor executivo, Strategy + PM img

COMPORTAMENTO MODELO

Os líderes de projeto devem reconhecer que irão modelar o que desejam que sua equipe seja: “Então é melhor você trabalhar em sua própria resiliência, é melhor trabalhar em sua própria identidade, é melhor trabalhar em sua própria captura de novos conhecimentos, mantendo-se atualizado”.

img

Madelyn Blair, PhD, autora, consultora executiva, professora do programa de estratégia de informação e conhecimento da Columbia University img

INDEPENDENTEMENTE ÁGIL

“Muitas pessoas pensam que um coach ágil é meio como um treinador em esportes: comanda tudo, diz a todos o que fazer. Mas isso não é verdade. O treinador ágil é aquela pessoa que está ensinando: ensina você a andar de bicicleta, ensina você a dirigir um carro. Se depois de três ou quatro anos eles ainda estiverem sentados ao seu lado no carro, provavelmente não foram muito eficazes. O objetivo de um treinador ágil é ser capaz de se afastar e permitir que você seja proficiente”.

img

— Mike Palladino, PMP, diretor, centro ágil de excelência, Bristol-Myers Squibb img

img

WESTEND61/GETTY IMAGES

img

CULTIVAR LÍDERES DA PRÓXIMA GERAÇÃO

Marcel Furmie, CAPM, CEO da Foodeo, sobre:

ENCONTRAR UM PROPÓSITO

“Como um verdadeiro membro da Geração Y, eu precisaví trabalhar com um propósito, e não era apenas esperar o pagamento”.

Aproximadamente 3 em cada 4 pessoas da Geração Y e da Geração Z planejam agir para impactar positivamente suas comunidades, de acordo com uma pesquisa da Deloitte, em 2020.

FAZER A DIFERENÇA

“A paixão pela causa é a única coisa importante que faz os trabalhadores da Geração Y ou Geração Z escolherem sua empresa em vez da próxima empresa. Provavelmente, se sua empresa salva cachorros de rua e dá ao trabalhador c Geração Z uma renda estável, você os fisgou. E, igualment importante, eles trabalharão mais por causa disso”.

Sessenta por cento dos trabalhadores da Geração Y e da Geração Z dizem que as respostas positivas de seus empregadores à pandemia global os fazem querer ficar com seus empregadores por mais tempo, de acordo com a Deloitte. img

img

FOTO DE SIMON HOFMANN/GETTY IMAGES PARA LAUREUS

Construa uma base forte

Nadia Comaneci foi a primeira ginasta a obter a pontuação perfeita de 10 nas Olimpíadas. Qual é a lição para líderes de empreendedores de ginástica?

“Se você tiver uma base muito forte e sólida para construir e tiver um pouco de paciência, vai chegar lá da maneira certa, na hora certa”. img

DEFINIR UMA VISÃO

“A liderança transformacional começa com uma visão de inovar e criar mudanças. Isso é obtido dando o exemplo de uma cultura organizacional forte e ética, com empatia e responsabilidade. Os líderes transformacionais focam na comunicação aberta. Eles engajam e inspiram mudanças positivas. Eles viabilizam e capacitam as equipes por meio de valores claros, definindo prioridades claras e dando-lhes a liberdade de interagir para que possam fornecer soluções. Os líderes transformacionais desafiam o processo e incentivam suas equipes a buscar maneiras alternativas de fazer as coisas”.

img

Shobhna Raghupathy, PMP, presidente, Proficient Project Consulting img

img

GUALTIERO BOFFI/EYEEM/GETTY IMAGES

Uma mão vencedora

img

Maria Konnikova, autora e campeã de pôquer, sobre como os líderes podem criar seu próprio straight flush:

  1. Tenha a mente aberta, esteja disposto a admitir que não sabe tudo, esteja disposto a admitir que pode estar errado, seja curioso, esteja disposto a aprender, a crescer e a se desafiar.
  2. É tudo uma questão de presença e atenção, aprender a realmente estar no momento e absorver todas as informações que o mundo está lhe dando.
  3. Aprenda a tirar as emoções do processo de decisão para que você possa pensar de forma lógica e racional. img

TORNAR A TRANSFORMAÇÃO PARTE DO DNA

Para alimentar uma mudança verdadeira, os líderes devem estar comprometidos com a criação de um ambiente no qual resultados duradouros possam criar raízes:

“A transformação rápida não começa no nível da organização; começa com o seu verdadeiro eu. Tive de examinar quem eu sou, o que posso oferecer a outras pessoas e como posso promover a mudança quando o resultado é desconhecido”.

img

— Yvonne Lau, vice-presidente sénior de desenvolvimento corporativo, Li & Fung Ltd. img

“A equipe inteira é mais importante do que qualquer grupo. Somos uma equipe de iguais. Estamos no mesmo barco e, se remarmos juntos, chegaremos lá mais rápido e com mais tranquilidade”.

img

— Dr. Clifford Wang, chefe do departamento de medicina do Santa Clara Valley Medicai Center img

“Defina uma marca para o seu programa de transformação rápida, porque as pessoas vão querer fazer parte dele. Você conquistará corações e mentes, e as pessoas vão querer apoiá-lo(a). Esse alinhamento cria esforços e resultados incríveis. Compre muita pizza, planeje ficar até tarde e acordar cedo, mas prepare-se para colher esses benefícios”.

img

— Vernon Irvin, diretor de receitas, Everbridge img

img

AARON MCCOY/THE IMAGE BANK/GETTY IMAGES

NOVAS FORMAS DE PENSAMENTO

img

Richard Furino, PMP, PgMP, diretor de programa, Microsoft, sobre:

A CONSTRUÇÃO UMA MENTALIDADE HOLÍSTICA

“O gerenciamento de projetos eficaz requer uma forma de pensar inquisitiva e analítica, em termos de pensar sobre as implicações diretas e indiretas de tudo que chega até você. Tudo está interligado, então, conforme pensamos sobre a arte e a ciência do gerenciamento de projetos, precisamos abordá-lo dessa perspectiva. Isso acontece porque estamos tentando alcançar não a execução de tarefas e atividades planejadas. O que estamos tentando alcançar é um resultado ideal. E a única maneira de fazer isso é pensar sobre os projetos de forma holística”.

RECONSIDERAÇÃO DE RISCO

“Pense nisso de uma perspectiva de incorporar o gerenciamento de risco em todo o nosso pensamento. O gerenciamento de riscos não é uma atividade discreta, mas algo que precisa permear todos os aspectos de como gerenciamos projetos”.img

EXPECTATIVAS ATENDIDAS

“A pandemia de COVID-19 jogou os cronogramas e orçamentos dos projetos em um caos extremo. Os líderes de projeto podem se comunicar de maneira mais eficaz com a equipe global, planejando reuniões mais curtas, porém mais frequentes. As atribuições de tarefas e marcos podem ser revisadas rapidamente, atribuídas ou reatribuídas, bem como atualizadas e previstas para garantir que toda a equipe não esteja apenas em sincronia diária e semanal, mas também preparada para as durações de prazos estendidos, linhas de base do cronograma do projeto e mudanças orçamentárias”.

img

Marat Oyvetsky, PMP, gerente de entrega de serviço, Proofpoint img

COLOCAR AS PESSOAS EM PRIMEIRO LUGAR

“Liderança servidora não é uma coisa fofa. Como líder, você está removendo barreiras para seus funcionários e, dessa forma, eles podem atender melhor os clientes. Você está colocando as pessoas em primeiro lugar. Isso não significa que seus funcionários e membros da equipe de produto estejam fazendo o que querem. Na liderança servidora, você atende a necessidades legítimas — e não aos desejos — das pessoas. Há responsabilidade e muitos padrões elevados que são alcançados, e também há um serviço ao cliente melhor. Você é um somador ou um subtrator? Você adiciona algo à vida das pessoas ou você daqueles que sempre tiram algo e levam embora? A única maneira de fazermos as coisas, em nossos projetos ou programas, é adicionar às pessoas. É assim que a liderança servidora nos faz chegar lá”.

img

Wale Elegbede, PMP, diretor de serviços de gerenciamento de estratégia, Mayo Clinic img

FORÇA FEMININA

img

FOTO DE TESS THOMAS PARA O MALALA FUND

Cultivar mulheres líderes

img

Remya Saseendran, gerente de projeto sênior, DXC Technology, compartilha como as empresas podem ajudar a eliminar as desigualdades de gênero de longa data, e levar mais mulheres ao topo do organograma.

Que erros as organizações estão cometendo?

Embora existam oportunidades, quanto é feito para alcançar e reter talentos em termos de conveniência e flexibilidade ainda é uma questão. Temos organizações com flexibilidade total. Mas isso está acontecendo em todos os lugares? Não. Pode haver restrições de clientes. Pode haver restrições de infraestrutura. Porém, no geral, sabemos que ambientes de apoio são necessários para que as mulheres prosperem.

Como isso pode mudar?

Tem que haver uma cultura que promova a igualdade de gênero. Muitas vezes, a cultura é o que controla as condições.

Quais etapas tangíveis funcionam melhor?

As organizações devem encorajar as mulheres líderes como porta-bandeiras de iniciativas importantes, para que mais mulheres se unam. Precisamos ter esse modelo, esse tipo de mentoria, em todas as organizações, para que as mulheres líderes possam ajudar outras mulheres com problemas que as impeçam de aparecer, nutri-las e colocá-las no ritmo necessário. img

img

Fonte: McKinsey and Co., 2020

Ousar sonhar

Malala Yousafzai, fundadora, Malala Fund

Ativista. Inspiração. Sobrevivente de uma tentativa de assassinato por homens armados em seu país natal, o Paquistão, aos 15 anos de idade, por ter ousado querer estudar. Malala Yousafzai poderia facilmente ter desistido da luta. Em vez disso, ela fundou o Malala Fund em seu novo lugar de residência, o Reino Unido. O primeiro projeto do grupo, que mandou 40 meninas de 5 a 12 anos de volta à escola na região do Vale de Swat, no Paquistão, ganhou um lugar na lista do PMI dos projetos mais influentes nos últimos 50 anos. Agora, com 23 anos, ela é um ícone: autora de best-seller, tema de um documentário premiado e a mais jovem

ganhadora do Nobel. O que a motiva como líder?

ACESSO PARA TODOS

“Meu sonho é que tenhamos um mundo onde todas as meninas possam ter acesso à educação”.

IMPACTO SOCIAL POSITIVO

“Estamos herdando este mundo e não o queremos do jeito que está. Queremos que seja melhor para todos nós. Queremos que seja melhor para todos nós. Queremos que seja pacífico e mais limpo para todos nós”.

O PODER DAS MENINAS

“Quando você investe em meninas, melhora a economia, cria mais empregos, cria mais oportunidades e traz mais paz”. img

FORÇA FEMININA

img

FOTO DE HANNAH PETERS/GETTY IMAGES)

Primeira-Ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern

Modelagem de liderança, estilo pandêmico

img

Kit Krugman

Kit Krugman, chefe de organização e design de cultura na Co:collective, e Vince Molinaro, PhD, CEO e fundador do Leadership Contract, sobre o que podemos aprender sobre gerenciamento de crises com a Primeira-Ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, e a chanceler alemã, Angela Merkel, lidaram com a pandemia:

img

Vince Molinaro, PhD

Krugman: Uma das características e atributos do que temos visto nas mulheres assumindo essas posições de liderança e autoridade é a determinação, Jacinda Ardern na Nova Zelândia — claro, incrivelmente decisiva com um lockdown muito cedo.

Molinaro: Existe uma capacidade de solução inabalável, Existe capacidade de decisão, Existe essa determinação juntamente com a sensação de se relacionar com o que os outros estão passando — empatia — que realmente parece falar com as pessoas neste momento.

Krugman: Muito humana e muito empática em termos de realmente tentar fazer parte da experiência com seu povo, trazendo todo seu ser autêntico para isso.

Angela Merkel é outro exemplo de alguém que realmente está sendo um excelente modelo de liderança, transmitindo o seguinte: “Estou levando isso a sério e, portanto, você também deveria — e aqui está o motivo”, Acho que ser um modelo de liderança é uma das coisas mais influentes e importantes que um líder pode fazer para pedir aos outros que se comportem de uma determinada maneira.

Molinaro: Em tempos de crise, como o que enfrentamos agora como seres humanos, naturalmente nos voltamos para os nossos líderes, E então o liderar como modelo de que você fala é muito, muito essencial, É emocionante ver uma grande liderança, Ponto final, E o fato de haver muitas mulheres em cargos políticos ou como líderes políticas, governando nossos países, não é coincidência, É ótimo ver isso acontecendo e há muito que aprender com o que elas estão fazendo, É muito bom ver como estão gerenciando a complexidade de nossos tempos. img

Começa a partida

Katie Sowers, ex-assistente técnica de ataque do time de futebol americano San Francisco 49ers, a primeira mulher e a primeira treinadora assumidamente homossexual a figurar em um Super Bowl da National Football League, sobre:

FORNECER INSPIRAÇÃO

“O que me faz levantar de manhã é saber que alguma jovem, como eu, vai ver isso como uma oportunidade. Existe um futuro e isso torna a vida delas mais significativa”.

IMPULSIONAR A DIVERSIDADE E A INCLUSÃO

“Não importa o que façamos, se não tivermos um porquê, não seremos a melhor versão de nós mesmos. (…) O meu porquê é quebrar essas barreiras invisíveis que estabelecemos com base na aparência das pessoas, cor da pele, género; colocamos barreiras invisíveis em torno das pessoas e isso realmente as limitam”.img

img

ELEMENTO HUMANO

img

JOEL SANTOS/BARCROFT MEDIA VIA GETTY IMAGES

Lições aprendidas com nómades da Mongólia

img

Depois de estudar no exterior, em lugares como Japão, China, Alemanha e Suécia, a palestrante do [email protected] Khulan Batkhuyag voltou para sua Mongólia natal aos 21 anos e começou a explorar a vida dos nómades do país. Isso mudou sua vida — e como ela aborda o gerenciamento de equipes.

CONSIDERE O BEM MAIOR

Antes de conhecê-los, já pressupunha que os nómades mongóis fossem hospitaleiros por sua gentileza, como qualquer outra pessoa. Mas então percebi que eram mais do que isso. A mentalidade deles é sobreviver como comunidade. (…) Isso realmente tocou meu coração, porque sinto que nós, humanos, estamos nos tornando cada vez mais egoístas.

FAÇA INVESTIMENTOS GERACIONAIS

Eles acreditam que não há sentido em construir nada que destrua a natureza ou em ser ganancioso por coisas materialistas uma vez que sua expectativa de vida é inferior a 100 anos. Em vez disso, eles investem em tradição, herança, história, e passam tudo de geração em geração. Essa antiga filosofia nómade me fez perceber que eu deveria pensar maior e além da minha própria conveniência e conforto.

ATENÇAO: CHAMADA A AÇAO

Cada vez que voltava para a cidade, eu buscava maneiras de viver de forma mais minimalista. Digitalizei todos os procedimentos em papel da minha empresa. (…) Reduzi meu apartamento, reduzi minha pegada de carbono e adquiri o hábito de repensar minhas ações, como comprar, escolher o meio de transporte e muitas outras opções de estilo de vida, em casa e no trabalho. E o mais importante: parei de trabalhar em projetos de marketing de bens de consumo de alta rotatividade, e agora trabalho com organizações que promovem a sustentabilidade.

TRANSFORME AS EXPECTATIVAS

Temos que nos perguntar: por que continuamos seguindo o mesmo plano quando sabemos que isso causa danos ao mundo? Todos nós experimentamos as consequências de nossas escolhas nos últimos oito meses. Portanto, fazer o certo pela Mãe Natureza e focar em hábitos ecologicamente corretos e de desperdício zero não é mais uma opção. E quem conhece os ingredientes- chave melhor do que nossos ancestrais? Aqueles que sobreviveram sem a mídia ou tecnologia, mas somente com sabedoria?

SEJA TRANSPARENTE

Estamos vivendo em um mundo dirigido pela mídia, onde os eventos são exagerados ou mal explicados, e há uma linha tênue entre a verdade e como ela está sendo descrita. Portanto, como líderes de projeto — os verdadeiros executores — é nossa responsabilidade ser honestos com a sociedade. Se houver desvantagens e melhorias precisarem ser feitas, seja aberto e honesto sobre isso. Compartilhe com sua comunidade e peça sua opinião. Sua honestidade incentivará o pensamento criativo de sua comunidade. img

LIBERAR A INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

“A liderança é construída sobre os pilares da inteligência emocional. E muitas pessoas não sabem que a inteligência emocional na verdade tem dois pilares. O esquerdo é o que precisamos dominar primeiro. Precisamos aprender a nos compreender, não apenas como somos e reagimos quando estamos em uma situação de felicidade, mas também como isso muda quando ficamos em perigo ou em conflito, porque de repente começamos a agir fora do personagem.

Quando tivermos reconhecido como isso acontece em nós mesmos e tivermos aprendido a reconhecer os primeiros sinais, podemos então nos controlar de uma hora para outra, mas isso também nos ajudará com o outro pilar. E esse outro pilar é trabalhar com os outros, porque aprenderemos a reconhecer esses tipos de sintomas quando alguém começar a agir sob estresse ou entrar em conflito e, de repente, começar a reagir de maneira diferente. E podemos rapidamente puxá-los de lado e descobrir o que está acontecendo. É disso que se trata a inteligência emocional”.

img

Stephanie Jaeger, PMP, gerente de programa e especialista em processos, Synergetic Energy Partners Co. Ltd.img

SUPERCOLA SOCIAL

“Você é o responsável, uma vez que lidera ou dirige uma equipe, por criar um contexto em que as pessoas possam se sentir felizes. Então, quando falamos sobre cultura, estamos olhando para essa questão sobre saúde emocional e, realmente, se seu pessoal se sente bem por vir trabalhar.

img

Kris Boesch, fundador e CEO, Choose People img

ELEMENTO HUMANO

img

IMAGENS DE UTA NEUMANN/EYEEM/GETTY

Empatia desmistificadora

Christopher DiBella, CEO, Three Sixty Integration, explica como os líderes podem mostrar que entendem e construir uma equipe melhor no processo.

img

O DESAFIO

“Como humanos, temos esse instinto de pensar que podemos resolver imediatamente os problemas de todos. Mas isso não se aplica à empatia”.

POR DEFINIÇÃO,

empatia é:

  • Estar totalmente presente com outros.
  • Dominar a arte da escuta ativa.
  • Ajustar a comunicação não verbal.
  • Fazer perguntas. Empatia não é:
  • Ficar triste porque outra pessoa está sofrendo.
  • Simplesmente concordar com alguém.
  • Assumir o fardo de outra pessoa.

OS TRÊS GRANDES

  1. Empatia cognitiva. “Você está se colocando no lugar de outra pessoa, mas está sendo empático pelo pensamento, e não pelo sentimento”.
  2. Empatia emocional. “É um contágio emocional — sentir as emoções de outra pessoa ao lado dela”.
  3. Empatia compassiva. “Esse tipo abre espaço para a reciprocidade. O diálogo e a reciprocidade são possíveis porque você quer saber o que eles estão realmente passando”.

A RECOMPENSA

“A empatia melhora a colaboração entre as equipes e em toda a organização. Cria um diálogo aberto e mais consciência cultural. Mas o maior benefício da empatia é que você se sente bem”. img

HUMILDADE EM MEIO À INCERTEZA

“Precisamos de líderes com um grande coração — tomadores de decisão que assumam riscos e (…) que sejam humildes, que aceitem os conselhos dos outros para administrar o novo normal”.

img

Fabiola Maisonnier, PMP, gerente de mudança e comercialização, Schlumberger img

PREPARAR, DEFINIR, ENGAJAR

“Quando você fala sobre algo de forma realmente envolvente, a coisa mais importante é se apresentar como um ser humano”.

img

Karin Hurt, CEO, Let’s Grow Leaders img

img

ILUSTRAÇÃO DE KIRSTEN ULVE

Transforme seus lixos em adubo****

img

Dinae Knox, PMP, autora, palestrante do [email protected] e gerente de gerenciamento de programas de negócios na Collins Aerospace

Nos primeiros seis meses de um novo emprego, Dinae Knox teve cinco reuniões com o RH sobre conflitos no local de trabalho, E quando seu gerente declarou: “Você tem que assumir alguma responsabilidade por suas ações”, Dinae sabia que isso a deixava com duas opções: procurar um novo emprego ou enfrentar a realidade de seu comportamento, Veja como Dinae — que superou abuso e negligência na infância e conseguiu se formar na faculdade (a primeira geração em que isso se aconteceu), e depois se tornou esposa, mãe e fundadora de uma organização sem fins lucrativos — empreendeu a missão de confrontar seu ego.

*Nota do editor: Dinae não tem papas na língua.

ELA TEVE TEMPO PARA REFLETIR

“Os efeitos colaterais de mais de 14 anos em um orfanato sem qualquer terapia eficaz me prenderam na encruzilhada entre o meu ego e minhas ambições de carreira. O conjunto de todas essas experiências, podemos dizer, esgotou meu solo. Eu não percebi na hora, mas aquele esgotamento causou algo estranho. Na verdade, fez meu ego explodir de forma descontrolada, porque criou uma mentalidade arraigada de vitimização e pena de mim mesma”.

ELA PROCUROU UMA SOLUÇÃO

“Interpretei o que meu gerente disse como: Dinae, você precisa juntar todos os lixos da sua vida e praticar um pouco de inteligência emocional. Foi quando percebi que os lixos que a vida joga na gente, cai na nossa cabeça, e permite que entremos em ação, e pode ser a maneira que a vida teve de nos preparar para o nosso melhor trabalho de todos os tempos. (…) Além disso, esses lixos pode produzir todos os tipos de viagens maravilhosas, como purê de batata e couve, tortas de maçã e broa de milho, TED Talks, soluções para países do terceiro mundo — e o que há de melhor em termos emocionais e saudáveis em você. Porém, para começar a transformação em adubo, tive que mudar minha mentalidade: Em vez de perguntar: por que isso está acontecendo comigo? Eu perguntava: por que isso está acontecendo para mim?”.

ELA CRIOU UMA LISTA DE VERIFICAÇÃO DO EGO

“Lembre-se de qualquer conflito recente. Pegue uma folha de papel e liste todas as suas tendências. Sim, é hora de se colocar à prova. Não pergunte: há algo de errado comigo? A resposta é sim. Para mim, eu me permiti refletir sobre minhas respostas e as percepções que os outros tinham de mim. E eu fui verdadeira comigo mesmo, tipo: Dinae, às vezes você se comporta de maneira autoritária, arrogante, impaciente, encrenqueira e agressiva”.

ELA ANALISOU A INTENÇÃO VERSUS A PERCEPÇÃO

“Quando fiz isso, fui capaz de reconhecer que nem sempre fui uma grande colaboradora, que às vezes usava minhas emoções e era mais transacional do que relacional nos negócios”.

ELA DESENVOLVEU UM PLANO HOLÍSTICO DE MUDANÇA

“Eu verifiquei meu ego, fiquei desesperada para mudar as coisas no trabalho, incorporei minha rede espiritual, contratei um terapeuta e executei o plano. Duas semanas depois, tive uma reunião diferente com meu gerente, que não incluiu RH, e que terminou com: gostei dessa Dinae”. Fui um sucesso instantâneo? Absolutamente não. Eu estava fazendo transformando meus lixos em adubo? Com certeza. Eu pedi desculpas publicamente e estava determinada a me tornar #AMelhorDinae DeTodosOsTempos”.img

ELEMENTO HUMANO

img

FOTO DE THOMAS IMO/PHOTOTHEK VIA GETTY IMAGES

Empresa de processamento de castanha de caju em Mim, Gana

img

CAPACITAR EMPREENDEDORES EMERGENTES

Sangu Delle, CEO, Africa Health Holdings Ltd.

PORTAS ABERTAS

“A África que conheço tem uma criatividade extraordinária e uma capacidade de inovação incrível. Sim, existem problemas com a pobreza em certos lugares, e com o desenvolvimento e infraestrutura, mas também existem muitas oportunidades incríveis acontecendo. Precisamos capacitar os empreendedores para irem lá e montarem as empresas do futuro, que criarão empregos”.

QUALÉO SEGREDO?

“Alguns dos empreendedores mais bem- sucedidos que conheci foram capazes de fazer coisas extraordinárias, porque tinham uma compreensão muito apurada dos humanos e a capacidade de se conectar com as pessoas. Criar futuros não é apenas criar empresários, mas também criar uma África empresarial. Você não pode falar sobre empreendedorismo na África sem falar sobre as mulheres africanas. Quem mora na sua cabeça? Os personagens que vivem em nossas cabeças geralmente são homens. A maneira como cobrimos e falamos sobre empreendedores, há quase um caráter de género embutido nisso”. img

RENDA-SE, DEPOIS, ESTIMULE

“Você não está no controle. Acostume-se. O que você precisa fazer como líder não é tentar controlar as pessoas, mas engajá-las”.

img

Penny Pullan, PMP, fundador, Making Projects Work Ltd. img

DEIXE OS OUTROS SE DIVERTIREM

“Sejamos honestos: liderança tem muito a ver com se retrair, e liderança tem muito a ver com tornar as coisas menos divertidas. É estranho dizer isso, mas estabelecer uma ambição e permitir que as pessoas preencham esse espaço, ter confiança nisso — isso para mim é mais liderança”.

img

— Mac Glovinsky, gerente de programa global, UNICEF img

SISTEMA DE APOIO

“Pessoalmente, o que me manteve nos dias mais difíceis foi meu sistema de apoio. Todos devem ter um sistema de apoio em tudo o que fazem, para poderem se apoiar diante do inesperado ou durante um dia difícil.

Pode ser sua família, colegas, amigos, etc., sei que não estaria onde estou hoje sem eles”.

img

— Laurie Hernandez, ginasta olímpica img

This material has been reproduced with the permission of the copyright owner. Unauthorized reproduction of this material is strictly prohibited. For permission to reproduce this material, please contact PMI.

Advertisement

Advertisement

Related Content

  • PM Network

    As pontes de Londres estão caindo

    Uma década de austeridade econômica está cobrando o preço das pontes públicas de Londres. No ano passado, vários fechamentos despertaram a ira e a preocupação de moradores frustrados. A Ponte de…

  • PM Network

    O show das trombas

    By Roberts, Caroline Nas últimas cinco décadas, a atividade comercial lentamente devastou as florestas de Surin, uma província do nordeste da Tailândia. E para o povo Kui nativo que dependia de suas exuberantes…

  • PM Network

    Jogada de energia

    By Parsi, Novid Marrocos não possui recursos petrolíferos em abundância. Assim, depende de importações de combustíveis fósseis para 97 por cento de suas necessidades domésticas de energia. Mesmo assim, o Marrocos…

  • PM Network

    Diagnósticos digitais

    À medida que a pandemia global continua alterando cada centímetro do cenário da saúde, os líderes de projetos de tecnologia médica estão se preparando para uma ruptura—e prontos para responder.

  • PM Network

    Orientação da mudança

    PM Network entrevista Michal Mitlanski, PMP, escritório de projetos da Dun & Bradstreet Israel e CIAL (América Latina), Tel Aviv, Israel.

Advertisement