Propel Center: Por desafiar o racismo sistêmico, alimentando o pensamento de ponta em universidades negras

2021 MIP #26

 

26

À medida que os protestos por justiça racial ecoaram em todo o mundo no ano passado, os maiores nomes do Vale do Silício prometeram aumentar o número perturbadoramente baixo de negros na área de tecnologia. Em janeiro, a Apple entrou em ação, unindo forças com a empresa de energia Southern Co., para construir o Propel Center. Financiado com US$ 25 milhões de cada empresa, o projeto entregará um campus de 4.645 metros quadrados no histórico distrito do Centro Universitário de Atlanta, bem como uma plataforma de aprendizagem digital para alunos e professores em mais de 100 faculdades e universidades historicamente negras (HBCUs) nos Estados Unidos.

O centro está sendo “imaginado e projetado” pela Ed Farm, com base na parceria da organização sem fins lucrativos com o gigante da tecnologia. O “projeto extraordinário” ajudará a “cultivar a liderança e impulsionar a inovação em tecnologia e mais, agindo como um trampolim para a mudança em comunidades por toda a América”, disse Anthony Oni, fundador da Ed Farm e presidente do conselho.

O Propel Center empregará um currículo personalizado em uma miríade de itinerários de educação — de IA e realidade aumentada a justiça social e artes do entretenimento —, bem como laboratórios de aprendizagem preparados com a tecnologia mais recente para promover a inovação. Os alunos também podem participar por meio de laboratórios de ideação locais de HBCU em instituições parceiras em todo o país.

E para garantir que a educação resulte em empregos — e mude para a criação de uma força de trabalho mais justa —, os planos do Propel Center incluem oportunidades de bolsa de estudos, estágio e mentoria, bem como cursos preparatórios para a carreira.

Advertisement

Advertisement

Related Content

Advertisement